julho 30 2019 0comment

Analytics: Características que devem ser analisadas em um líder para os projetos

Aparentemente, uma solução simples seria apenas a contratação de um profissional altamente qualificado ou um influenciador que disseminasse o potencial do Big Data. Mas nem sempre é só isso. A questão envolve algo maior do que a tecnologia. Enquanto as habilidades técnicas são um ponto de início, o CEO deve escolher um líder de analytics com três qualidades específicas:

  1. Capacidade para colaborar, tendo suas ideias moldadas pelos outros e que defenda as ideias dos outros.
    2. Entendimento de como funciona a operação da empresa atualmente e uma visão de como um analytics pode conduzir a companhia para um futuro melhor, talvez totalmente diferente.
    3. Desejo de criar um ambiente de descobertas, em que se permite usar os dados para delinear o futuro da empresa.

A alta taxa de rotatividade dos CAOs,é um claro sinal de que encontrar o líder de analytics certo é uma tarefa difícil. Executivos de alta performance são moldados pelas experiências decisivas de suas carreiras, ainda que o analytics exija deles um entendimento das coisas muito além de seus modelos mentais. O CEO deve identificar, entre os líderes, as tomadas de decisão que ainda estão muito rígidas; deixar claro a todos que a era do analytics demanda um novo modo de pensar, tanto individual como coletivamente; e enfim, conduzi-los para isso.
Executivos que ainda defendem o status quo e temem a mudança vão ser bem sucedidos de uma única forma: conduzindo mal as iniciativas de analytics e talvez acabando com elas completamente. Ironicamente, isso até permite que eles sejam reconhecidos como “inovadores” num primeiro momento, mas logo caem em descrédito e o poder do C-level volta ao que era antes.

Muitos CEOs subestimam o impacto dos modelos mentais no processo de inovação, geralmente assumindo que os exercícios de “pensar fora da caixa” já resolvem a questão.

A acelerada geração de Big Data nas últimas décadas originou capacidades impressionantes. Mas para que as empresas possam explorá-las por completo, os CEOs devem intensificar seus esforços; eles não podem abdicar de sua liderança ou delegar a responsabilidade para outros executivos. A boa notícia para muitas empresas que lutam para otimizar seus investimentos de Big Data/analytics é que elas não estão sozinhas. A corrida pela vantagem competitiva ainda pode ser vencida.

junho 18 2019 0comment

Como uma cultura baseada em dados transforma negócios?

Você deve estar se perguntando se o Big Data Analytics deve ou não ser adotado pela sua empresa.

Com toda a experiência adquirida ao longo dos anos, dizemos com todas as palavras que o BIG DATA é  interessante para todo tipo de negócios, pois ele é capaz de exercer impacto tanto dentro quanto fora da sua empresa. O uso de dados (novamente, externos ou internos) leva a movimentos de negócios mais inteligentes, operações mais eficientes, maiores lucros e clientes mais felizes.

Alguns dos pontos que mais causam impacto e geram valor em organizações que se guiam por dados são:

Redução de custos

Tecnologias de Big Data, como Hadoop e as análises baseadas em nuvem, trazem vantagens de custo significativas quando se trata de armazenar grandes quantidades de dados – além de serem capazes de identificar formas mais eficientes de fazer negócios.

Tomada de decisão mais rápida e eficiente

Com a velocidade dessas tecnologias para processar e analisar diferentes fontes de dadas e memorizar os melhores caminhos com inteligência artificial, as empresas são capazes de compreender e se debruçar analiticamente sobre informações de maneira imediata, tomando decisões melhores e mais assertivas em um tempo cada vez menor.

Novos produtos e serviços

Com a capacidade de avaliar as necessidades dos clientes e satisfação por meio da análise, vem o poder de dar aos clientes o que eles querem. Diversos especialistas apontam que, com Big Data Analytics, mais empresas estão criando novos produtos para atender às necessidades dos clientes.

A importância de Big Data não gira em torno da quantidade de dados que você tem, mas do que você faz com eles. Você pode tomar dados de qualquer fonte e analisá-los para encontrar respostas que permitam:

  • Determinar causas raiz de falhas, problemas e defeitos quase em tempo real;
  • Gerar cupons no ponto de venda com base nos hábitos de compra do cliente;
  • Recalcular portfólios de risco inteiros em minutos;
  • Identificar comportamentos fraudulentos antes que sua organização seja afetada.

Ou seja, os benefícios são gigantescos (e cada vez mais, aparecem novos). Por isso, pense na seguinte pergunta: “O que sua empresa está perdendo ao não adotar o uso de Big Data?”.

Ainda dá tempo de deixar a sua companhia ou área ainda mais competitiva.

maio 15 2019 0comment

Os 5 Vs do Big Data. Você os conhece?

Volume, Variedade, Velocidade, Veracidade e Valor. Esses são os 5 principais aspectos do Big Data que são conhecidos por 5 Vs.

Os aspectos de VolumeVariedade e Velocidade, como explicamos, diz respeito à grande quantidade de dados não-estruturados que devem ser analisados pelas soluções de Big Data a uma grande velocidade.

O V de Veracidade é sobre as fontes e a qualidade dos dados, pois eles devem ser confiáveis. Já o V de Valor é relacionado aos benefícios que as soluções de Big Data vão trazer para uma empresa. Cada instituição precisa checar se os benefícios trazidos pela análise de Big Data compensam o alto investimento nas soluções específicas para isso.

Fonte: canaltech

maio 18 2018 0comment

Curso on line gratuito de Big Data

Fundação Instituto de Administração (FIA) apresenta dois novos cursos disponíveis no Coursera, plataforma de educação on-line. Os cursos com foco em Big Data e Marcas & Crise fazem parte do programa desenvolvido para ajudar pessoas no aprimoramento e renovação de conhecimento para conquistarem novas oportunidades de emprego. As aulas são oferecidos em português e são gratuitas.

O treinamento é destinado a todos os profissionais que queiram conhecer o conceito.

Para saber mais detalhes, vale a pena acessar a página da FIA: https://www.coursera.org/fia

Fonte: Computerworld