julho 21 2020 0comment

3 maneiras de valorizar o trabalho da sua equipe à distância

Muitas empresas tiveram que remodelar a forma de trabalho de suas equipes como consequências geradas pela pandemia da Covid-19. Os gestores perceberam que é possível tocar suas operações sem que os funcionários estejam reunidos em um único lugar. Porém, apesar de suas vantagens (que não podem ser totalmente apreciadas por conta do momento de quarentena), esse modelo de trabalho tem, sim, seus desafios.

O mais conhecido é o distanciamento que pode ocorrer dentro das equipes, já que ausência de um escritório elimina as interações sociais responsáveis por estabelecer parcerias dentro dos grupos. Sem falar em trabalhos como avaliações de desempenho (já que relacionamento é um dos pontos analisados) e promoções.

Listamos 3 formas que possam valorizar ainda mais o trabalho da equipe e permitir que a distância seja encurtada.

 

1) Forneça as ferramentas necessárias 

Os orçamentos podem estar apertados, mas os funcionários remotos devem ter tudo o que precisam para trabalhar com eficiência. De tecnologia e software pessoais a suprimentos básicos, como cadeiras, mesas e artigos de papel, não economize no essencial.

 

2) Reserve um tempo para ouvir e conectar-se com os demais 

Durante a Covid-19, muitas organizações descobriram o valor das reuniões de acompanhamento. É importante que os funcionários saibam que os gestores estejam disponível para ouvir novas idéias, responder a perguntas e discutir suas preocupações.
3) Aumente a transparência 

Organizações saudáveis são sempre honestas com suas equipes e, quando os funcionários trabalham remotamente, mantê-los atualizados é ainda mais importante manter as pessoas informadas. Por exemplo: você pode enviar uma atualização semanal por e-mail ou realizar reuniões on-line regulares, incentivando perguntas.

Como sempre, as reuniões são uma oportunidade perfeita para expressar reconhecimento pelo trabalho alheio. Ao conduzir os encontros, compartilhe exemplos específicos e tangíveis de trabalho que excederam as expectativas ou destaque alguém que se esforçou para ajudar um cliente ou colega.

julho 06 2020 0comment

A escrava que sabia o que queria

Há alguns anos havia uma novela chamada ¨Força de um Desejo¨. Se você tem mais de 20 anos, como eu :), vai se lembrar da estória de Esther e Inácio. Na fazenda onde moravam havia uma escrava de nome Luzia, interpretada pela bela Isabel Fillardis. Ela tinha um jeito bem torto de fazer as coisas, mas uma coisa temos que admitir: ela sabia o que queria.

Desde o início ela sempre deixou claro que queria ser livre. Ela ainda não sabia como, mas nunca sequer passou pela cabeça dela que não seria possível. Enquanto não conseguia a quantia pra pagar a carta de alforria, ia juntando umas moedinhas aqui e ali. E muito antes do final da novela, ela conseguiu.

A maioria de nós procura seguir a ética pelo caminho, mas pra mim o que fica é: Luzia tinha um foco, e nunca se perdeu dele.

Por isso é que em Coaching falamos sobre o seu objetivo, e evitamos discutir os problemas que você tem hoje ou que vai enfrentar pelo caminho.  O que vai levar você a comprar a sua casa, emagrecer, conseguir o trabalho dos seus sonhos é o quanto deseja aquilo, e o quanto está se movimentando (ações) para consegui-lo.

Grant Cardone, em seu livro ¨10X – A Regra Que Faz a Diferença Entre o Sucesso e o Fracasso¨,  diz: ¨Se você falhou, é porque ainda não agiu o bastante¨.

Você pode (e deve!) fragmentar seu gol em partes menores. Assim, o gol parece mais possível e a carga mais leve. Por exemplo, escrever um livro parece impossível? Você pode começar escrevendo um artigo por dia e publicar em um blog para ir treinando, por exemplo. O que mais você precisa? Fazer um curso? Encontrar um revisor? Pesquisar? Entrevistar uma pessoa experiente e pedir dicas?

Liste tudo o que você precisa fazer em um papel, depois numere em ordem sequencial. E o importante é: se comprometa a agir. Um item da sua lista por semana, por exemplo. Uma moeda de cada vez.

Lembre-se: cada item ticado na sua lista é uma pequena vitória. Comemore! Reconheça o valor do seu esforço e o fato de você estar cada vez mais perto de conseguir o que quer.

Eu tenho visto isto cada vez mais na minha própria vida: quando você realmente quer algo, tudo se torna possível. Agir é a maneira de você mostrar para o Universo que está falando sério. Você dá alguns passos e o movimento começa a acontecer de forma quase miraculosa.

Mas você pode perguntar: ¨e quando, por mais que eu queira, não acontece?¨

Eu me lembro de um artigo que foi muito importante na minha vida, escrito pela Rosana Braga. Ela perguntava: ¨O QUE VOCÊ QUER? O que você REALMENTE quer? Pergunte-se e ouse responder.¨

Me lembro de ter lido essas linhas escritas assim, com letras maiúsculas, e sentindo um frio na barriga! MEDO. Medo de conseguir o que eu queria (sim, isso existe!), medo até de pedir.

No artigo ela propunha que pegássemos um papel e escrevêssemos o que queríamos, mas sem filtros. Não foi fácil. Eu peguei aquele papel várias vezes e não conseguia escrever. Como eu podia escrever que queria casar?? (¨Em 2013?? É esse o seu alvo na vida??¨). Que queria dinheiro?? (¨Mas você está estudando Filosofia! Depois de tudo isso o que você quer é dinheiro??¨). Mas quando eu finalmente consegui escrever, foi libertador.

Então, eu te pergunto, de que você está com medo? O que está te segurando?

Procure observar seus pensamentos. Eles estão te colocando mais perto do que você quer? Ou você está usando desculpas para não conseguir o que merece? Você quer entrar na Universidade? Quando você vê seu amigo que começou em Fevereiro, você diz: ¨ahhhh mas ele sempre teve apoio da família né¨, minimizando o esforço daquela pessoa, ou você procura ver como pode seguir o exemplo de pessoas que conseguiram?

Bom, e o que aconteceu com a Luzia quando se tornou livre? No mesmo dia arrumou um emprego numa pousadinha. Daí começou a achar que estava trabalhando mais do que quando era escrava ;). Mas isso é assunto para outro post.

junho 29 2020 0comment

O que faz você feliz?

Já ouviu falar sobre Marie Kondo? Ela está fazendo bastante sucesso com as suas dicas sobre organização. Eu mesma arrumei armários, guarda-roupas, e o seu método me convenceu a me desapegar de um monte de coisas que eu guardava como ¨lembrança¨, algo que eu nunca havia conseguido antes.

 

No seu livro ¨A mágica da arrumação¨, ela defende a ideia de que deveríamos deixar em casa só aquilo que nos traz alegria. Quando fazemos uma limpeza, pensamos: ¨por que quero jogar isso fora?¨. Talvez seja porque a camisa é grande, ou porque agora você quer um celular mais moderno.  Ela diz que na verdade, as perguntas corretas,  que vão realmente levar à uma transformação, são: ¨por que quero manter isto?¨ e ¨está me trazendo alegria?¨

 

Fiquei pensando em como podemos trazer isso pra nossa vida. Quantas coisas estamos carregando que já não fazem sentido e, principalmente, que não nos fazem felizes?

 

Eu me lembro de uma vez ter perguntado a um amigo: ¨você é feliz?¨, e ele respondeu: ¨felicidade é mesmo o objetivo da vida?¨

 

Bom, eu não sei qual é a sua filosofia de vida, querido leitor. Eu, por exemplo, acredito que enquanto estamos aqui precisamos evoluir, nos tornar melhores, nos conscientizar sobre nós mesmos, sobre o próximo, sobre o nosso entorno. Mas enquanto eu estiver fazendo isto, eu quero sim, ser feliz!

 

Se você também quer,  talvez seja hora de se desfazer de algumas coisas que você traz pelo caminho. Talvez você já tenha se apercebido delas, talvez não.

 

1) As suas ¨lembrancinhas¨ do passado

Sim, você é o que é por causa do seu passado. Mas se apegar a ele, está te fazendo bem? Está te ajudando a conseguir seus objetivos? Quando você se lembra de um evento ou um certo alguém do passado, você sorri? Se não, estaria na hora de colocar essa lembrancinha no saco de lixo?

 

2) Comportamentos

Talvez a vida tenha te ensinado a ser mais “seco”, a levar as coisas a ferro e fogo, talvez até a ser rude. Mas você ainda precisa desses comportamentos? Você está se beneficiando deles? Está ajudando nas suas relações, sejam elas de trabalho ou pessoais? Os seus comportamentos fazem outras pessoas sorrirem?

 

3) Pensamentos

O Eme Viegas, que junto com a Jaque formam o Casal Sem Vergonha, outro dia disse: ¨o stress é excesso de passado,  e a ansiedade é excesso de futuro¨. Achei essa frase fantástica.

Fala-se muito em mindfulness (consciência plena), que nada mais é do que estar no presente. Parece óbvio, mas é difícil. Nós normalmente estamos com o pensamento no que pode acontecer, no que já aconteceu, e não no que está acontecendo.

 

Uma das dicas que ele e a Jaque deram para lidar com isso é assistir o pensamento. Você percebe: ¨ah, estou preocupado com alguma coisa que nem sei se vai acontecer de novo?¨, ok, e simplesmente deixa o pensamento ir.

 

Essa dica tem me ajudado muito a não me julgar o tempo todo, não analisar o tempo todo.

 

4) Expectativas

Tem um vídeo do Mario Sergio Cortella em que ele diz que a fórmula da Felicidade é:

 

Felicidade = Expectativas – Realidade

 

Felicidade é a diferença entre o que você espera acontecer, e o que realmente acontece.

 

Que tal diminuirmos nossas expectativas?

 

Se o seu marido te traz flores e você não está esperando, você vai ficar feliz. Agora, se você está esperando uma jóia, um buquê de flores não parece muito, não é? 🙂

 

5) ¨Não¨ gratidão

 Em inglês existe um termo incrível, que é o ¨take for granted¨. É quando você vê algo como garantido, ao invés de ver como uma benção. Andar, por exemplo. A gente nem pensa nisso, mas não é ótimo poder andar?

 

Não estou pregando o conformismo ou o jogo da Pollyana, mas que tal olharmos à nossa volta e ficarmos gratos pelo que temos?

 

Eu sei que é difícil fazer isso na atual situação, com crise e tudo mais, mas com certeza pensar nisso pela manhã vai te fazer começar o dia com o olhar muito mais positivo e esperançoso.

 

6) Não ver suas qualidades

Além de pensar em saúde, uma cama pra dormir, já parou pra pensar em quantas habilidades você tem, as quais você nunca percebeu? Talvez você seja um bom ouvinte, cozinhe bem, seja generoso. Agradeça! Se tiver dificuldades para pensar nas suas qualidades, pergunte a um amigo, à sua esposa. Você vai se surpreender.

 

E aí, que tal dar um ¨Marie Kondo¨ na sua vida e deixar só o que te faz feliz? 🙂

junho 18 2020 0comment

Vídeo Dicas SAS – Declaração LIBNAME

Para quem deseja entender um pouco mais sobre Declaração LIBNAME, a Infomev criou um vídeo que fala sobre este assunto.

Além de dicas, o vídeo ainda traz exercícios para praticar seus conhecimentos.

Conheça o canal e veja os demais vídeos dicas!