maio 12 2020 0comment

Cursos de BIG DATA

Se você pretende seguir carreira no universo do BIG DATA, capacitar-se pode ser o primeiro passo a ser dado.

 

A Infomev criou 4 novos cursos listados dentro da categoria BIG DATA. São eles:

 

  • Introdução ao HADOOP + Hive Query Language: O curso com 16 horas de duração,  permite ao aluno uma visão geral do Ecossistema Hadoop e aborda como armazenar e fazer a gestão de grandes volumes de dados. Além disso,  aborda o uso da linguagem HQL como uma alternativa para manipulação e tratamento dos dados no Sistema Hadoop.

Para saber mais, clique aqui.

 

  • Estatística aplicada ao Alteryx Design: Treinamento com 24 horas de duração e que é voltado para usuários de negócios que necessitam suporte a insights e descoberta de novas oportunidades de negócios utilizando seus dados na ferramenta Alteryx Designer.

Para saber mais, clique aqui.

 

  • Introdução ao HADOOP: O curso possui 8 horas de duração e permite ao aluno uma visão geral do Ecossistema Hadoop e aborda como armazenar e fazer a gestão de grandes volumes de dados. Indicado a profissionais técnicos ou de negócio que necessitam trabalhar com processamento de grandes volumes de dados através de uma linguagem de simples de consulta.

Para saber mais, clique aqui. 

 

  • Hive Query Language: O curso aborda o uso da linguagem HQL como uma alternativa para manipulação e tratamento dos dados no Sistema Hadoop. Possui 8 horas de duração e certificado no final do curso.

Para saber mais, clique aqui

maio 04 2020 0comment

Você sabe quais são seus valores?

¨O homem vive, toma partido, crê numa multiplicidade de valores, hierarquiza-os e dá assim sentido à sua existência mediante opções que ultrapassam incessantemente as fronteiras do seu conhecimento efetivo.¨ – Jean Piaget

 

Vejo muitas pessoas utilizando ferramentas de autoconhecimento e quanto mais elas se conhecem, mais sofrem. Não deveria ser assim. A verdade liberta. É isso: a verdade sobre nós mesmos deveria ser libertadora.

 

Muitos entendem valores como características pessoais. Nós, Coaches, entendemos como os critérios que vão ajudá-lo a tomar decisões na vida.

 

Alguns valores são fáceis de reconhecer: honestidade, generosidade, tolerância. Outros são um pouco mais sutis, eu nunca definiria ¨amor pela beleza¨, por exemplo, como um valor. Meus ex namorados, por exemplo, nunca foram especialmente bonitos. Mas ao fazer um exercício o amor pela beleza veio como um critério forte para mim. E quando eu penso nas minhas escolhas no passado, vejo que isso teve um peso grande em minha vida, como a escolha do lugar para morar, e tudo o que veio com isso, pagar mais para morar num lugar melhor, guardar menos dinheiro etc.

 

Te proponho fazer um exercício agora: tire 5 minutinhos e pense sobre os seus valores. O que é importante pra você? Sem se julgar, sem pensar no julgamento alheio. Você quer que todos sejam tratados com justiça? Você é espontâneo? interessado? independente? perdoador? Liste pelo menos 20 valores, e lembre-se, não é o que você gostaria de ter, mas o que você efetivamente tem.

 

Depois, tente diminuir essa lista para 5 valores essenciais, primordiais. E por último, tente numerar estes 5 em ordem de prioridade. Como fazer isto? Tente pensar em algumas situações em que dois diferentes valores precisam ser usados. Você tem um emprego que oferece estabilidade, e outro que paga melhor (segurança, status). Qual dos dois você escolhe?

 

Vamos supor que você tenha como valores a criatividade e a segurança. Alguém te oferece um trabalho para pintar um mural externo, mas é no 30º andar de um prédio. O que tem um peso maior? Criar ou o risco?

 

Quando você tiver esta lista pronta, pense em como ela se aplica na sua vida. Que escolhas você fez no passado que refletem os seus valores? O que hoje pode estar te incomodando porque está indo contra eles? Que escolhas você pode fazer na sua vida para que ela reflita mais os seus valores? Como você pode trazê-los para diferentes áreas da sua vida (trabalho, relações, saúde, meio)?

E daí pra frente, sempre que você tiver uma decisão a tomar, pense nos seus valores. Respeite-se e seja mais feliz!

 


Dulcineia Sañtos é Life Coach, certificada pelo NeuroLeadership Group em Londres.

www.dulcineiasantos.com

abril 16 2020 0comment

As soluções tecnológicas usadas ao redor do mundo para combater o COVID-19

Em meio à maior pandemia dos últimos tempos, países utilizam-se de soluções tecnológicas para poder monitorar e combater o COVID-19.

Selecionamos alguns países e apontamos as ferramentas utilizadas. Confira!

EUA

Vigilancia de movimento por celulares

Aplicativos de monitoramento de doentes

 

BRASIL

Vigilancia de aglomerações por celulares

 

ISRAEL

Vigilancia de movimento de infectados e em áreas de quarentena por celular

 

SINGAPURA

Vigilância de movimento por celulares

 

RUSSIA

Vigilancia de movimento de infectados e em áreas de quarentena por celular

Código QR para monitorar quarentena

 

COREIA DO SUL

Vigilancia de movimento e estado de saúde por celulares, cartão de crédito e imagens

Aplicativos de monitoramento

Divulgação online de posição de infectados

 

CHINA

Vigilancia de movimento e estado de saúde por celulares, imagens e reconhecimento facial

Divulgação online de posição de infectados

Aplicativos de monitoramento

Código QR para controlar quarentenas

Drones de vígília de quarentena

 

HONG KONG

Pulseiras com sensor para limitar áreas de quarentena

 

TAIWAN

Vigilancia de movimento por celulares

 

FRANÇA, ESPANHA, BÉLGICA E ITÁLIA

Vigilancia de aglomerações por celulares

Drones de vigília de quarentena

 

ALEMANHA E ÁUSTRIA

Vigilancia de aglomerações por celulares

 

POLÔNIA

Vigilancia de quarentena por meio de selfies

 

Fonte Folha.uol

abril 06 2020 0comment

O que aconteceu com o fazer nada?

Diante de tanta conversa sobre aproveitar melhor o tempo, 10 rotinas de pessoas bem sucedidas, não procrastinar etc. e, embora eu realmente faça uso dessas dicas, venho me perguntando: será que todo o nosso tempo precisa ser preenchido com algo produtivo?

Não estou nem sequer falando sobre ócio criativo, porque pra mim esse termo por si só pressupõe que mesmo se você ficar parado, precisa ter por finalidade conceber algo brilhante ao final do seu fazer nada.

 

Estou falando sobre sentar e assistir televisão sem se sentir culpado porque o programa não é culto o bastante e você não aprende nada com ele. Sobre sair e passear no parque sem se culpar porque você não está lendo os seus emails ou porque a casa não está limpa. Sobre dormir até o olho abrir. Sobre ler um romance.

 

Pode parecer que eu estou me contradizendo, mas em primeiro lugar, as coisas que escrevo também são para auto reflexão. Segundo, eu acho que existem dois tipos de conversas sobre tempo: uma quando você realmente quer fazer mais e não sabe como (e aí sim você vai aproveitar as dicas sobre o assunto), e outra que vou chamar de ¨simplesmente estar¨.

 

Vou dar um exemplo: eu sou fã da Pedagogia Waldorf. É um método de ensino que respeita profundamente o ritmo da criança, o seu modo preferido de aprender e o seu tempo de aprender. As crianças aprendem de forma muito orgânica, utilizando elementos do seu entorno e da natureza (terra, madeira), e o aprender se dá brincando, escutando estórias etc. Neste ambiente o brincar tem uma finalidade. Mas quando foi que a criança passou a ter (em casa) a obrigação de brincar com uma finalidade? Quando entrou a patrulha dos brinquedos de madeira, do não poder isso e aquilo, de ser produtivo até mesmo para as crianças?

 

O filósofo Bertrand Russel, no seu livro ¨O elogio ao ócio¨, diz: ¨Se o assalariado comum trabalhasse quatro horas por dia, haveria bastante para todos, e não haveria desemprego – supondo-se uma quantidade bastante modesta de bom senso organizacional. Essa idéia choca as pessoas abastadas, que estão convencidas de que os pobres não saberiam o que fazer com tanto lazer

 

Não quero entrar aqui numa discussão social sobre o papel da elite e da Revolução Industrial sobre a produtividade. O que me interessa é: será que nós sabemos o que fazer quando temos tempo livre? Será que sabemos aproveitá-lo – não no sentido de ¨tornar proveitoso¨, mas no sentido de apreciar, desfrutar?

 

Em outro trecho do livro, Russel diz, ironicamente: ¨´É verdade que meu corpo precisa de horas de descanso, que procuro preencher da melhor forma, mas meu maior prazer é ver raiar o dia para poder voltar ao trabalho, que é a fonte da minha felicidade.’ Nunca ouvi nada do gênero saindo da boca de nenhum trabalhador.¨

 

É claro que estamos falando de um livro publicado em 1939, mas as pessoas para quem essa frase não soa tão irônica, estão sim começando a procurar modelos diferentes de trabalho, que lhes permitam ter mais tempo para viajar, para contemplar e sobre o qual possam dizer: ¨amo o que eu faço¨. Elas passaram a perceber que o trabalho pode sim ser prazeroso e que o controle da quantidade de tempo dedicado ao trabalho pode ser seu. Veja, por exemplo, os Nômades Digitais.

 

Como Coach o que é importante pra mim é que você, primeiro, esteja consciente do que você quer. Se você quer que seu tempo seja produtivo, então eu posso ajudá-lo com ferramentas para isso. Se você quer ter mais tempo livre (e escolher o que fazer com esse tempo, seja estudar, ficar com a sua família ou fazer nada), ok, posso ajudá-lo a alcançar isso. Mas a pergunta é: o que você quer? E a segunda reflexão é: por  que você quer? Foi sua escolha? Você se viu obrigado a fazer algo pelas circunstâncias da vida? Ou por que se comprometeu (ainda que consigo mesmo) a fazer algo e agora não quer voltar atrás? Se você perceber que realmente não escolheu, ou que escolheu mas agora não faz mais sentido, vamos explorar as opções porque, acredite, quase sempre existe outra opção. E se você escolher fazer nada, que fique em paz com isso.

 

Que tal experimentar ¨simplesmente estar¨ no próximo final de semana e compartilhar como foi pra você?

 


Dulcineia Sañtos é Life Coach, certificada pelo NeuroLeadership Group em Londres.

www.dulcineiasantos.com