dezembro 13 2017 0comment

CARREIRA: Profissões de tecnologia que serão essenciais

Ao longo dos anos, novas profissões aparecem enquanto outras passam a declinar gradativamente. Isto acontece por diversos motivos: evolução da tecnologia, mudança de comportamento da sociedade, crises econômicas, entre outros. Alguns estudos apontam que, até 2025, um em cada três postos de trabalho será substituído por tecnologia inteligente.

Para ajudar nesta reflexão, listamos algumas profissões que estão surgindo em função de evoluções tecnológicas e que tem um grande potencial para o futuro:

 Analistas de machine learning:  Analistas de machine learning precisam ter experiência com desenvolvimento, banco de dados e capacidade de encontrar padrões em grandes massas de dados.

. Especialista em automação residencial: Se, no passado, a automação dos processos era algo exclusivo de empresas, o futuro promete as mesmas necessidades nas casas. Muitas pessoas, embora usem computadores e internet diariamente, não são digitalmente “capacitadas”, precisando do auxílio de profissionais específicos para este fim.

. Especialista em clouding: Embora muito discutido, o clouding ainda é algo inovador no mercado de TI e, por isso, carece de profissionais especializados na solução e que possam orientar as empresas de forma adequada sobre as vantagens, desvantagens e requisitos para sua implantação.

. Desenvolvedores full-stack: Antigamente, os desenvolvedores eram categorizados em back-end e front-end, ou seja: o desenvolvedor back-end trabalha na parte “interna” dos sistemas, programando os códigos-fonte e precisa ter conhecimentos de novas ferramentas de desenvolvimento e principalmente banco de dados. O futuro promete valorizar profissionais que trabalhem nas duas frentes, chamados de full-stack, numa atuação mais generalista e menos especialista.

Cientista de dados:A internet trouxe a era dos dados e as empresas e governos precisam lidar com o processamento de um volume gigantesco de informações. Neste novo contexto, surgiu a figura do Cientista de Dados, que tem o objetivo de permitir que todo este processo aconteça.  Provavelmente, estes profissionais deverão ser bem remunerados, pois, muitas vezes, estarão lidando com dados sigilosos de clientes e empresas.

 

Fonte: Canaltech

CARREIRA: O Cientistas de Dados

executivo

Uma nova geração de especialistas analíticos que possuem habilidades técnicas para resolver problemas complexos.

Eles são um sinal dos tempos modernos. Sua popularidade repentina reflete como as empresas agora pensam sobre big data. Essa massa imensa de informações não estruturadas já não pode mais ser ignorada e esquecida. É uma mina de ouro virtual que ajuda a aumentar receitas – contanto que haja alguém que escave e desenterre insights empresariais que ninguém havia pensado em procurar. Entra em cena o cientista de dados.

Muitos cientistas de dados começaram suas carreiras como estatísticos ou analistas de dados. Mas conforme o big data começou a crescer e evoluir, esses papéis também evoluíram. Dados não são mais somente uma reflexão tardia para o departamento de TI cuidar. Eles são informações importantes que exigem análise, curiosidade criativa e um talento especial para traduzir ideias de alta tecnologia em novas maneiras de obter lucro.

Para quem deseja seguir esta carreira, confira o que você precisa fazer:

Se você é um estudante, escolha uma universidade que ofereça um diploma em ciência de dados, ou pelo menos, uma que ofereça aulas de ciência de dados e analytics é um primeiro passo importante.

Se você é um profissional e deseja mudar de carreira, algumas características são importantes observar: possuir talento especial para a resolução de problemas, a capacidade de comunicação e uma curiosidade insaciável sobre como as coisas funcionam, é indispensável.

Além dessas qualidades, você também precisará de um sólido conhecimento em:

– Estatística e machine learning.

– Linguagens de codificação, como SAS, R ou Python

– Bancos de dados como MySQL e Postgres.

– Visualização de dados e tecnologias de informação.

– Hadoop e MapReduce.

Se você não quiser aprender estas habilidades por conta própria, faça um curso (conheça a grade de cursos da Infomev). E depois, claro, você deve fazer contatos. Conecte-se com outros cientistas de dados na sua empresa, ou participe de fóruns de discussão. Eles fornecerão informações importantes sobre o que os cientistas de dados fazem – e onde você poderá encontrar os melhores empregos.

Fonte: SAS.com

A descoberta dos cientistas de dados

Confira a reportagem que saiu no site do Valor Econômico. A matéria fala sobre a importância e necessidade que o mercado possui em encontrar profissionais que atuam com grande volume de dados.

Especialistas afirmam que o crescimento de dados gerados pelos consumidores crescerá exponencialmente nos próximos anos. As empresas que não souberem o que fazer com eles correm o risco de perder mercado. Para o Brasil, essa avaliação é ainda mais preocupante em razão da escassez de profissionais qualificados na área de análise de dados. As organizações estão começando a ter a figura do cientista de dados, mas a formação nesse setor ainda é deficiente.

Por este motivo, é de extrema importância que o profissional procure se qualificar e adaptar os seus conhecimentos para atender as necessidades exigidas pelo mercado.

Muitas empresas de consultoria e treinamento oferecem cursos específicos para manipulação, extração e mineração de dados, permitindo assim que o profissional torne-se um “cientista dos dados”.

Saiba mais e leia a matéria na íntegra: http://www.valor.com.br/carreira/2756838/descoberta-dos-cientistas-de-dados