Melhorando as relações profissionais através da ressignificação

Por Dulcineia Alcock

Uma das qualidades mais apreciadas nas relações (sejam elas pessoais ou profissionais), é a Inteligência Emocional. De fato, hoje em dia você pode ter conhecimento e diplomas, mas se não souber regular suas emoções, seu emprego (ou seu casamento) estará em risco.

Uma das maneiras de regular suas emoções é através da ressignificação, ou seja, dar uma nova interpretação/ significado a um fato; é ver as coisas por um outro ângulo.

Para entender como isto funciona, precisamos falar um pouco sobre o funcionamento do nosso cérebro.

Nosso cérebro checa durante todo o tempo se estamos num ambiente seguro ou num que oferece perigo. Isto era necessário para a sobrevivência dos nossos ancestrais, caçadores, e este instinto permanece. Mas o interessante é que o cérebro entende as ameaças sociais como um risco de morte. Daí o fato de você sentir o mesmo frio na barriga quando topa com alguém suspeito na rua ou quando o seu chefe fala: ¨preciso falar com você¨.

O sistema límbico é a parte do cérebro responsável, entre outras coisas, pelo controle das emoções. Quando nos sentimos ameaçados, nosso cérebro entra em ¨estado límbico¨. Nesse estado, nosso processo de decisão fica prejudicado, e nos sentimos menos propensos a colaborar com os outros. A tendência é o cérebro entrar no modo fight-flight-freeze (lutar-fugir-congelar), daí a importância de trabalharmos para tomar as rédeas das nossas emoções.

Há várias maneiras de trabalhar o controle de emoções, sendo algumas antes da estimulação do sistema límbico, e outras após, quando a ¨ameaça¨ já está presente.  Nesta última se encaixa o ato de ¨ressignificar¨.

Você talvez já o faça sem perceber. Suponhamos que seu colega de trabalho tenha passado por você de cara feia. O cérebro checa e o vê como uma ameaça (inimigo).  Por um momento você se aborrece, mas depois pensa: ¨ele deve ter tido um problema em casa¨, ou seja, você deu um novo significado ao caso, e pode seguir com o seu dia.

Porém, nós podemos fazer isso ativamente. Diante de uma situação que o faça sentir ameaçado, pergunte-se:

Quais seriam outras alternativas, além dessa primeira impressão?

Como uma pessoa com inteligência emocional (ou alguém que você admira) agiria nessa situação?

Se um amigo lhe contasse essa situação, o que você diria para ajudá-lo?

Quando você ressignifica e vê as coisas sob um ângulo positivo, pode utilizar a região pré-frontal do seu cérebro de forma mais eficaz. O cortex pré-frontal é a região do seu cérebro responsável por pensar de alto nível (decidir, entender).

Esse é um dos papéis do Coaching: trazer a mudança cognitiva, isto é, ajudá-lo a mudar sua maneira de pensar até que você possa fazer isso automática e independentemente. Suas relações agradecem.

 

*Dulcineia é Life Coach (Português e Inglês), certificada pelo NeuroLeadership Group em Londres. Membro da Federação Internacional de Coaching (ICF). Estudou Antroposofia no Goetheanum (Suíça) de 2012 a 2014. Anteriormente atuou por 16 anos na área legal (Direito Societário). Escreve sobre Coaching e sua aplicação na vida cotidiana.

contato: info@highpeakcoaching.com

infomev

Write a Reply or Comment