Como você toma suas decisões?

Por Dulcineia Sañtos

When you come to a fork in the road, take it! – Yogi Berra

Qual é o seu critério para tomar decisões? Você se tranca em algum lugar e não sai de lá até chegar à uma conclusão? Consulta um amigo ou um expert? Adia e só toma a decisão na última hora, sobre pressão?

Pessoas usam diferentes métodos para decidir sobre algo, e o seu tipo de personalidade, de acordo com a teoria de tipos de Carl Jung, tem um peso nisto.

Se você tem que decidir sobre onde vai passar o final de semana não é grande coisa, mas se é sobre mudar de cidade ou deixar um emprego, por exemplo, a maneira como você vai decidir pode fazer toda a diferença.

Uma das maneiras de olhar para as suas opções é: “quando eu digo sim para a opção 1, para o que eu estou dizendo não?” Eu exploro mais este assunto neste artigo.

Uma forma simples é fazer cinco círculos em um papel. Você então escreve um critério relacionado àquele assunto em cada círculo. Depois analisa cada opção e veja se elas atendem aos critérios listados.

Por exemplo, você quer comprar uma casa. Os principais critérios pra você são: 1) que essa casa fique próxima da sua mãe, já que ela te ajuda com as crianças quando você trabalha; 2) que ela tenha 3 quartos, já que você tem crianças e precisa de um escritório; 3) que custe até 300.000,00; 4) que seja num lugar seguro; 5) que esteja em bom estado, porque você não quer gastar com reformas.

Escreva num papel e depois compare as opções com a sua lista.

Para quem gosta de planilha, veja a 2a. parte deste artigo e aprenda uma ferramenta.

E lembre-se: nós temos o cérebro intelectual e o emocional. Escolha qual dos dois você quer usar na sua tomada de decisão e esteja atento a isto.

 

Como você toma suas decisões?

Parte II

Matriz de Decisão

Um método que usamos em Coaching é a Matriz de Decisão. Funciona assim: você cria uma tabela e dá um peso para cada critério. Por exemplo, vamos supor que eu queira mudar de profissão. As coisas que eu mais valorizo no momento são a liberdade de horários que eu tenho, a minha autonomia, poder trabalhar em silêncio, já que eu trabalho sozinha. Eu trabalho em casa e isto é uma vantagem, mas eu não sofreria tanto se tivesse que me locomover para trabalhar.  Neste caso, a minha tabela ficaria assim:

 

Critério Peso Opção 1 Opção 2
Liberdade 10    
Trabalhar só 9    
Autonomia 8    
Férias 7    
Seguro saúde 6    
Estabilidade 5    
Trabalhar em casa 4    
Total      

 

Depois você pode preencher as colunas Opção 1 e 2 de duas formas –  simplesmente ticando e ver na soma quem tem mais peso:

 

Critério Peso Opção 1 (trabalhar como autônomo) Opção 2 (trabalhar para uma empresa)
Liberdade 10 x x
Trabalhar só 9 x  
Autonomia 8 x  
Férias 7   x
Seguro saúde 6   x
Estabilidade 5   x
Trabalhar em casa 4 x  
Total   31 28

 

Ou você pode fazer algo mais elaborado, definindo um valor para cada opção:

 

Critério Peso Opção 1 Opção 2
Liberdade 10 10 (total escolha de ação) 7 (escolha  de ação limitada)
Trabalhar só 9 9 4 (terei uma sala)
Autonomia 8 8 5 (responder a superior)
Férias 7 5 (liberdade de escolha) 7 (30 dias pagos)
Seguro saúde 6 0 (eu pago) 6 (empresa paga)
Estabilidade 5 0 3 (posso ser despedida)
Trabalhar em casa 4 4 3 (não é longe)
Total   36 35

 

Priorizando o maior peso

Veja que nas duas planilhas a opção 1 ganha. Mas se houvesse mais critérios de menor peso, haveria a possibilidade de a opção 2 alcançar uma melhor posição. Neste caso você pode usar a “ponderação”, que é a multiplicação do peso pela nota que você deu ao critério. Dessa maneira os critérios de maior peso influenciarão mais o resultado final:

 

Critério Peso Opção 1 Opção 2 Total 1 Total 2
Liberdade 10 10 (total escolha de ação) 7 (escolha  de ação limitada) 100 70
Trabalhar só 9 9 4 (terei uma sala) 81 36
Autonomia 8 8 5 (responder a superior) 64 40
Férias 7 5 (liberdade de escolha) 7 (30 dias pagos) 35 49
Seguro saúde 6 0 (eu pago) 6 (empresa paga) 0 36
Estabilidade 5 0 3 (posso ser despedida) 15 0
Trabalhar em casa 4 4 3 (não é longe) 16 12
Total   36 35 311 243

Seja lá qual for a maneira que você vai escolher sua decisão, lembre-se: respeite-se e a seus valores. Escute a sua intuição. E sempre conte um coach para ajudá-lo a ver as coisas por um novo ângulo!


Dulcineia Sañtos é Life Coach, certificada pelo NeuroLeadership Group em Londres.

www.dulcineiasantos.com

infomev

Write a Reply or Comment