agosto 02 2016 0comment

Crônica: Busque o equilíbrio na vida

Estamos iniciando um novo mês, e para celebrar o começo desses próximos 31 dias que teremos pela frente, gostaríamos de compartilhar uma crônica que encontramos no livro “O que podemos aprender com os gansos” da editora original.

A crônica nos traz reflexões importantes que se a aplicarmos no nosso cotidiano, certamente teremos resultados diferentes em nossas ações. Confira!

“Em uma conferência numa universidade americana, um executivo falou sobre a relação entre o trabalho e outros compromissos da vida:

– Imagine a vida como um jogo de malabares, em que você lança ao ar cinco bolas. Essas bolas são o trabalho, a família, a saúde, os amigos e o espírito. O trabalho é uma bola de borracha. Se cair, bate no chão e pula para cima. Mas as quatro outras são de vidro. Se caírem no chão, quebrarão e ficarão permanentemente danificadas.

Entenda isso e busque o equilíbrio na vida. Como?

  • Não diminua seu próprio valor, comparando-se com outras pessoas. Somos todos diferentes. Cada um de nós é um ser especial. Não fixe seus objetivos com base no que os outros acham importante. Só você está em condições de escolher o que é melhor para você.
  • Dê valor e respeite as coisas mais queridas do seu coração. Apegue-se a elas como a própria vida. Sem elas, a vida carece de sentido. Não deixe que a vida escorra entre os dedos, vivendo no passado ou no futuro. Se viver um dia de cada vez, viverá todos os dias de sua vida;
  • Não desista, quando você ainda é capaz de um esforço a mais. Nada termina, até o momento em que se deixa de tentar. Não tema admitir que não é uma pessoa perfeita;
  • Não tema enfrentar riscos. É correndo riscos que aprendemos a ser valentes;
  • Não exclua o amor de sua vida, dizendo que não é possível encontrá-lo. A melhor forma de receber amor é dando amor. A forma mais rápida de ficar sem amor é apegando-se demasiadamente a si próprio. A melhor forma de manter o amor é dando-lhe asas;
  • Não tenha medo de aprender. O conhecimento é leve. É um tesouro que se carrega facilmente;
  • Não use imprudentemente o tempo ou as palavras. Eles são coisas que jamais poderemos recuperar;
  • A vida não é uma corrida, mas uma viagem que deve ser desfrutada passo a passo;
  • Lembre-se: ontem é história, amanhã é mistério e hoje é uma d´diva. Por isso é que se chama “presente”.

Reflita sobre esses conselhos. Leia e releia cada um deles e, aos poucos, adote-os como filosofia de vida. Viva com equilíbrio.”

Crônica retirada do livro “O que podemos aprender com os Gansos” – Ed 12 – Editora Original

julho 05 2016 0comment

Procure sempre se renovar profissionalmente

Estamos iniciando mais um mês, e com ele, renovamos a energia e motivação para alcançarmos nossos objetivos.

Pensando nisso, separamos uma crônica que mais parece uma verdadeira lição de vida.

Confira!

A águia é a ave de maior longevidade. Chega a viver setenta anos. Mas para alcançar essa idade, aos quarenta anos ela tem que tomar uma séria e difícil decisão.

Com quarenta anos de vida, ela já está com as unhas compridas e flexíveis e não consegue mais agarrar as presas das quais se alimenta. O bico alongado e pontiagudo se curva, apontando para o peito. As asas estão envelhecidas e pesadas em razão da grossura das penas. Voar torna-se muito difícil.

Só restam à águia duas alternativas: morrer ou enfrentar um dolorido processo de renovação que irá durar cento e cinquenta dias. Esse processo consiste em voar para o alto de uma montanha e se recolher a um ninho próximo a um paredão. Após encontrar esse lugar, a águia começa a bater com o bico no paredão até conseguir fazer o bico cair. Depois disso, espera nascer um novo bico, com o qual vai depois arrancar suas unhas. Quando as novas unhas começam a nascer, a águia passa a arrancar as velhas penas. E só passados cinto meses a ave sai para o seu famoso vôo de renovação e para viver mais trinta anos.

Em nossa vida, muitas vezes também temos de nos resguardar por algum tempo para dar início a um processo de renovação. Para que continuemos a voar um vôo vitorioso, devemos nos desprender de lembranças, costumes e outras tradições que nos causaram dor. Somente livres do peso do passado, podemos aproveitar o resultado valioso que uma renovação sempre traz.

*Texto retirado do livro “O que podemos aprender com os Gansos” – 12ª Edição – Ed Original


 

Gosta de crônicas? Então leia a última que postamos sobre solução de problemas, também disponível no blog da Infomev.

junho 21 2016 0comment

Infomev oferece cursos TABLEAU

A infomev passou a oferecer cursos Tableau.

Separado em dois módulos: Básico e Avançado, os cursos tem como objetivo ajudar o usuário a compreender e a usar as técnicas e conceitos relevantes no Tableau que vão permitir a criação de visualizações complexas integradas à painéis interativos.

Voltados para profissionais que trabalham com dados, independentemente de experiência técnica ou em análises, cada módulo possui 16 horas de duração e disponibiliza certificados após o curso.

Saiba mais: http://www.infomev.com.br/tableau-mod-i-basico/

 

junho 14 2016 0comment

Mainframe: Conheça alguns mitos

O mainframe é o sistema mais confiável e disponível para escalar alto volume de dados com cargas de trabalho digitais. Ao longo do tempo, começou a ser visto como irrelevante para processamento de grande escala de dados em nuvem. Mas fato é que o mainframe se tornou mais importante do que nunca e deve manter seu posto durante a próxima década.

Essencial para infraestruturas de TI, essa tecnologia foi culturalmente associada à inteligência artificial, bastante difundida em clássicos do cinema, como “O Exterminador do Futuro” e “Matrix”. O site TANETUAI listou alguns mitos do mainframe.

  1. O mainframe está morto, ou em vias de…

Errado. Usuários de dispositivos móveis realizam cerca de 37 transações diárias e 91% de seus apps comunicam-se via mainframe. Isto significa que praticamente todas as operações de cartão de crédito, remessas e reservas de passagens aéreas incluem, pelo menos, uma interação com o mainframe. Em alguns momentos são criadas múltiplas interações.

  1. Empresas poupam dinheiro ao substituir mainframes por cloud-computing ou infraestrutura de cluster de grande escala.

Errado. Um estudo revelou que em 18 dos 19 setores da indústria, as companhias que contavam primordialmente com mainframes para seu crescimento fizeram mais receita por cada dólar gasto em Infraestrutura de TI do que as companhias que se baseavam primordialmente em servidores commodities. Essas organizações apresentam, em média, custos 35% menores com infraestrutura geral de TI em comparação àquelas que dependem de servidores commodities.

Para ler os outros mitos, confira o post completo no TANETUAI.COM