agosto 23 2016 0comment

Dica de leitura: O Poder do Hábito

Quer tirar da sua mente e do papel aqueles projetos? Transforme-os em hábitos que o seu cérebro faz o resto. É o que garante Charles Duhigg, autor do livro “ O Poder do Hábito”.

O livro é o preferido de muitas pessoas bem sucedidas e muito do seu sucesso pode ser atribuído ao hábito de determinadas ações. Segundo o autor, bons hábitos são difíceis de adquirir, e os ruins são difíceis de largar, porém, mudanças de hábito, podem acontecer, mas, para isso, é necessário entender como as rotinas automatizadas funcionam no nosso cérebro e, então, abandonar hábitos ruins que podem abrir oportunidades para transformações que podem gerar bilhões, o que significa a diferença entre fracasso e sucesso, vida e morte.

Com base na leitura de inúmeros artigos acadêmicos, entrevistas com centenas de pessoas, entre cientistas e executivos, além de dezenas de empresas e das pessoas que conseguiram dar mudar suas vidas, Duhigg, em O Poder do Hábito, nos apresenta um argumento animador: a chave para mudar o que não funciona em sua vida.

O livro custa em torno de R$ 49,90 nas principais livrarias do país.

Vale a pena a Leitura.

Capa O poder do habito.indd

agosto 02 2016 0comment

Crônica: Busque o equilíbrio na vida

Estamos iniciando um novo mês, e para celebrar o começo desses próximos 31 dias que teremos pela frente, gostaríamos de compartilhar uma crônica que encontramos no livro “O que podemos aprender com os gansos” da editora original.

A crônica nos traz reflexões importantes que se a aplicarmos no nosso cotidiano, certamente teremos resultados diferentes em nossas ações. Confira!

“Em uma conferência numa universidade americana, um executivo falou sobre a relação entre o trabalho e outros compromissos da vida:

– Imagine a vida como um jogo de malabares, em que você lança ao ar cinco bolas. Essas bolas são o trabalho, a família, a saúde, os amigos e o espírito. O trabalho é uma bola de borracha. Se cair, bate no chão e pula para cima. Mas as quatro outras são de vidro. Se caírem no chão, quebrarão e ficarão permanentemente danificadas.

Entenda isso e busque o equilíbrio na vida. Como?

  • Não diminua seu próprio valor, comparando-se com outras pessoas. Somos todos diferentes. Cada um de nós é um ser especial. Não fixe seus objetivos com base no que os outros acham importante. Só você está em condições de escolher o que é melhor para você.
  • Dê valor e respeite as coisas mais queridas do seu coração. Apegue-se a elas como a própria vida. Sem elas, a vida carece de sentido. Não deixe que a vida escorra entre os dedos, vivendo no passado ou no futuro. Se viver um dia de cada vez, viverá todos os dias de sua vida;
  • Não desista, quando você ainda é capaz de um esforço a mais. Nada termina, até o momento em que se deixa de tentar. Não tema admitir que não é uma pessoa perfeita;
  • Não tema enfrentar riscos. É correndo riscos que aprendemos a ser valentes;
  • Não exclua o amor de sua vida, dizendo que não é possível encontrá-lo. A melhor forma de receber amor é dando amor. A forma mais rápida de ficar sem amor é apegando-se demasiadamente a si próprio. A melhor forma de manter o amor é dando-lhe asas;
  • Não tenha medo de aprender. O conhecimento é leve. É um tesouro que se carrega facilmente;
  • Não use imprudentemente o tempo ou as palavras. Eles são coisas que jamais poderemos recuperar;
  • A vida não é uma corrida, mas uma viagem que deve ser desfrutada passo a passo;
  • Lembre-se: ontem é história, amanhã é mistério e hoje é uma d´diva. Por isso é que se chama “presente”.

Reflita sobre esses conselhos. Leia e releia cada um deles e, aos poucos, adote-os como filosofia de vida. Viva com equilíbrio.”

Crônica retirada do livro “O que podemos aprender com os Gansos” – Ed 12 – Editora Original

julho 05 2016 0comment

Procure sempre se renovar profissionalmente

Estamos iniciando mais um mês, e com ele, renovamos a energia e motivação para alcançarmos nossos objetivos.

Pensando nisso, separamos uma crônica que mais parece uma verdadeira lição de vida.

Confira!

A águia é a ave de maior longevidade. Chega a viver setenta anos. Mas para alcançar essa idade, aos quarenta anos ela tem que tomar uma séria e difícil decisão.

Com quarenta anos de vida, ela já está com as unhas compridas e flexíveis e não consegue mais agarrar as presas das quais se alimenta. O bico alongado e pontiagudo se curva, apontando para o peito. As asas estão envelhecidas e pesadas em razão da grossura das penas. Voar torna-se muito difícil.

Só restam à águia duas alternativas: morrer ou enfrentar um dolorido processo de renovação que irá durar cento e cinquenta dias. Esse processo consiste em voar para o alto de uma montanha e se recolher a um ninho próximo a um paredão. Após encontrar esse lugar, a águia começa a bater com o bico no paredão até conseguir fazer o bico cair. Depois disso, espera nascer um novo bico, com o qual vai depois arrancar suas unhas. Quando as novas unhas começam a nascer, a águia passa a arrancar as velhas penas. E só passados cinto meses a ave sai para o seu famoso vôo de renovação e para viver mais trinta anos.

Em nossa vida, muitas vezes também temos de nos resguardar por algum tempo para dar início a um processo de renovação. Para que continuemos a voar um vôo vitorioso, devemos nos desprender de lembranças, costumes e outras tradições que nos causaram dor. Somente livres do peso do passado, podemos aproveitar o resultado valioso que uma renovação sempre traz.

*Texto retirado do livro “O que podemos aprender com os Gansos” – 12ª Edição – Ed Original


 

Gosta de crônicas? Então leia a última que postamos sobre solução de problemas, também disponível no blog da Infomev.