2020: Quais serão as tecnologias utilizadas?

Quais serão as tecnologias que irão vigorar no mundo daqui há 6 anos? Ok, não é muito tempo assim, mas especialistas arriscam que cloud, analytics/big data, mobile e social, estarão ainda mais presentes. Além delas, sugerem também internet das coisas, impressoras 3D e computação cognitiva.

Segundo o Gartner, em 2020 deveremos ter mais de 26 bilhões de dispositivos (excluindo da lista smartphones, tablets e celulares) na internet das coisas, que  devem gerar quase US$ 2 trilhões de valor econômico na economia mundial, em tecnologias e, principalmente, em serviços. Este é um ponto importante. Não adianta  termos milhões de sensores gerando dados, se não tratarmos estes dados e conseguirmos fazer coisas inovadoras; sejam novos processos, novos modelos de negócio ou mesmo criar novas indústrias.

Esta é uma discussão que foi publicada no site imasters. Se quiser vê-lo na íntegra, clique no link: http://bit.ly/2020tecnologia

E você? Quais tecnologias acredita que estará presente em 2020?  Queremos saber!

 

Fonte: imasters

Mercado continua confundindo Big Data com Analytics

Uma matéria publicada no Cloud Computing traz uma discussão bastante recorrente: o mercado segue confundindo Big Data com Analytics.

Ainda existe uma confusão em torno da escolha da melhor maneira de impulsionar analíticos em Big Data. Muitos dos investimentos em 2013,foram feitos fota do BI tradicional, em silos, infraestrutura e serviços experimentais.

Para 2014, segundo João Tapadinhas (diretor de pesquisa do Gartner), metade dos gastos com BI e analíticos será impulsionada pelas áreas de negócios.

Para ler a matéria completa, acesse o link: http://bit.ly/1g5Hufu

Como um Data Warehouse é construído

Você certamente já deve ter ouvido falar a respeito do Data Warehouse (DW) ou Armazém de Dados (como é conhecido  em português). Trata-se de um repositório de dados centralizado, de grande importância para desenvolver uma solução de Business Intelligence (BI). Ele permite o fácil acesso às informações armazenadas, gerando agilidade nas respostas. Porém a questão é, você sabe como ele é construído?

Separamos em 7 etapas os processos para o desenvolvimento e a construção do Data Warehouse. Se você pensa em implantar esta solução na sua empresa, fique atento a todos os detalhes.

1)      Levantamento das necessidades: Levantar todas as informações desejadas pelo usuário é essencial. Nesta etapa é importante alinhas as necessidades dos analistas com as expectativas dos gestores.

2)      Mapeamento dos dados: Aqui, o mapeamento dos dados é fundamental para verificar se os dados existentes são suficientes para atender as necessidades da primeira etapa.

 

3)      Construção de Staging Area: Após o mapeamento, uma estrutura chamada Staging Area deve ser construída. Trata-se da área de transição dos dados do DW. Aqui os dados são copiados e tratados para as futuras cargas nas tabelas de Fatos e Dimensões.

 

4)      Construção das dimensões: Nesta etapa, a historicidade dos dados são definidas para que a estrutura das dimensões que farão parte do DW possam ser construídas.

5)      Construção do(s) Fato(s): Após a etapa anterior, inicia-se a construção das Dimensões da(s) estrutura(s) do(s) Fato(s). Aqui é avaliado e definido a granularidade da informação que será armazenada em cada Fato, além da avaliação da expectativa de crescimento e de armazenamento que serão utilizados.

 6)      Definição do Processo geral de carga:  Aqui, cria-se o motor para que tudo seja carregado, atualizado, orquestrado e processado de forma automática e ordenada. Por isso, a necessidade do processo geral de carga que é o “cérebro” do DW.

 7)      Criação dos metadados: Os metadados fornecem apoio importante para a gestão do conhecimento, logo é nesta etapa (no final) que toda a documentação deve ser desenvolvida.

É importante respeitar essa sequência das etapas, pois elas possuem dependência de término para início, ou seja, a etapa sucessora só deve ser iniciada quando a anterior for concluída. Com a devida atenção em cada uma das etapas, as chances de sucesso no projeto de construção do DW é praticamente garantido e a empresa terá um repositório que armazenará as informações que auxiliarão a organização na tomada de decisão.

 

Fonte: Canaltech

3 erros comuns no Business Intelligence: Evite-os!

Recentemente o site Canaltech Corporate publicou um artigo onde apontava os 3 principais erros mais comuns na implantação do Business Intelligence.

Gostamos tanto das dicas que resolvemos compartilhar com vocês aqui no nosso canal.

Escolher uma solução de BI que não supre suas necessidades: É importante ter um objetivo claro quando se trabalha com Business Intelligence, ou será muito difícil conseguir o que você quer. Você precisa especificar que solução de BI está procurando.

Tentar tirar demais da Business Intelligence: BI e análise de dados têm capacidades amplas e podem ajudar a transformar a sua empresa, mas essas mudanças não vão ocorrer da noite para o dia, como um passe de mágica. O ideal é organizar os objetivos em metas pequenas, pois apenas olhar para o cenário completo vai tornar difícil alcançar objetivos de longo prazo.

Tentar entender a BI sem um profissional qualificado:  Mesmo que você tenha a ferramenta certa, é de extrema importância que você possua um  profissional capacitado para compilar e organizar as informações. O conjunto de ferramenta adequada + profissionais capacitados + metas realistas de curto e longo prazo vão ajudar a sua empresa a conseguir os melhores benefícios.

Para ler a matéria completa,  clique aqui: http://corporate.canaltech.com.br/dica/business-intelligence/Evite-esses-erros-de-Business-Intelligence/

Fonte:  canaltech corporate