Dados, Informação, Conhecimento e Inteligência

É importante distinguir dados, informação, conhecimento e acrescentar o conceito de inteligência. A figura abaixo apresenta uma tabela. O valor 35 na 1ª linha com a 2ª coluna é um dado. Dados são representações de informações. Sozinhos não dizem nada. Quando entendemos que o 35 significa a idade do cliente José, em anos, estamos transformando o dado em informação. As pessoas trabalham com informações, mas a tecnologia armazena dados.

Já conhecimento seria: “Todos os clientes da cidade de SP têm saldo médio maior que 9 mil reais”. Notem,  isto não é uma informação explícita na tabela. Só conseguimos chegar a esse conhecimento se cruzarmos informações diferentes. Conhecimento, portanto, vem das informações. Mas está acima. As pessoas recebem muitas informações no seu dia a dia, mas nem tudo fica retido,  nem tudo é útil, nem tudo será utilizado mais adiante. O que resta, o que é útil, o que é utilizado forma o conhecimento desta pessoa.

Cliente

Idade

Saldo Médio

Cidade

José

35

9000

SP

João

30

4000

Santos

Ana

25

8600

Rio

Maria

23

3000

Ribeirão Preto

Carlos

34

9700

SP

Dados x Informação x Conhecimento

Já o conceito de inteligência (alguns chamam de sabedoria) está acima do conhecimento. Imagine um grupo de pessoas numa sala fechada (nada entra ou sai) recebendo uma tarefa: quebrar a cadeira onde estão sentados. Admitamos que todos possuem a mesma força física e foram criados e educados em famílias e escolas semelhantes. Ou seja, possuem o mesmo nível de conhecimento, obtido por estudos nas escolas, leitura em casa, viagens, experiência, etc. Algumas destas pessoas conseguirão resolver o problema e outras não. Mas por que, se todas possuem a mesma força física e os mesmos conhecimentos?  A diferença está na forma como cada um utiliza o conhecimento que tem e as conexões que faz em seu cérebro. Isto é inteligência, ou seja, saber resolver problemas utilizando o conhecimento que possui. E isto se aplica também em poder resolver problemas novos, usando adaptações, analogias, etc.

BI então, como o nome “inteligência” indica, deve ajudar pessoas e organizações a resolverem seus problemas e alcançarem seus objetivos.

Tenha em mente que os altos volumes de dados e informações nem sempre geram conhecimento se não forem adequadamente interpretados, além disso, a qualidade dos dados deve ser considerada para a adequada apuração e geração da informação e conseqüentemente obtenção do conhecimento.

No próximo encontro falaremos um pouco mais sobre a qualidade dos dados.

Até breve!

As empresas mais ricas em dados no mundo

Você sabe quais são as empresas que mais possuem dados no mundo? Confira a lista completa, segundo a Smart Data Collective, que reuniu em uma lista as companhias com maior volume de dados armazenados e analisados no mundo. As empresas não estão listadas em nenhuma ordem de prioridade.

GE: A GE é sem dúvida uma das maiores companhias de tecnologia do mundo, com investimentos em áreas diversas que vão desde Aviação até Energia, e leva a questão da informação muito a sério. Para eles, se posicionar à frente do desenvolvimento da chamada IOT (Internet of Things) – conceito segundo o qual todos os dispositivos podem ser conectados entre si da mesma forma que os computadores – é a chave para aumentar a eficiência e revolucionar os negócios.

IBM: Em 2003, a IBM realizou uma pesquisa online com seus 50 mil funcionários perguntando a opinião de cada um deles a respeito de assuntos vitais para a administração da companhia. As respostas foram processadas por um software que realizou uma análise textual, e as mais comuns acabaram se tornando os principais objetivos da companhia.

Amazon: A Amazon não apenas trouxe o Big Data para as massas, mas mudou para a sempre a relação com os consumidores, tornando-a pessoal. Uma das principais dificuldades encontradas pelas pessoas que compravam online antes da Amazon era a ausência de um auxílio à compra que descrevesse os produtos e ajudasse o consumidor a encontrar o que ele realmente precisava.

Facebook: o Facebook conseguiu reunir a maior lista de contatos do mundo, contando com mais de 1 bilhão de usuários ativos e se consolidando como a maior de todas as redes sociais.

Google: Não existe como contruir uma lista com as maiores companhias de Big Data do mundo sem mencionar o grande rei das pesquisas online. Assim como o Facebook, o Google transformou a coleta e análise de dados em um modelo de negócio ao oferecer seus serviços de forma gratuita, e depois vendendo a informação que adquire sobre nós ao monitorar a maneira como navegamos na internet.

Cloudera: O Cloudera é líder neste campo, e percebe claramente a obrigação que tem para com a tecnologia livre em que é construído, retornando uma parte dos seus lucros para a fundação voluntária que mantém o Hadoop.

Kaggle: Os clientes da Kaggle podem contar com uma equipe de mais de 150 mil cientistas de dados, profissionais e amadores, de diversos lugares para resolver seus problemas, incluindo nomes importantes como a NASA, o Google, a Wikipedia e a Microsoft.

Trecho extraído do site Canaltech. Para ver a máteria completa, acesse o link ao lado: http://corporate.canaltech.com.br/materia/negocios/Conheca-as-empresas-mais-ricas-em-dados-do-mundo/#ixzz3G2gW1vVe

Fonte: Canaltech

Ao focar apenas em números, empresas se esquecem das pessoas

O Business Intelligence (BI) ajuda as empresas a tomarem decisões, embasadas em dados e informações sobre o ambiente empresarial, pesquisas de marketing, industriais e de mercado e análises competitivas.Sendo assim, organizações que acumulam “inteligência” estão mais propensas a superar seus concorrentes. Porém estar com “os olhos” apenas voltados para os números podem apresentar riscos de esquecerem das pessoas.

“Geralmente, as áreas de BI estão mais voltadas a aspectos comerciais, como volume de vendas, faturamento, market share e regionalização. Entretanto, hoje em dia, conhecer os movimentos dos profissionais nos concorrentes pode até ser mais relevante para antecipar os passos da concorrência”, diz Marcelo Braga, especialista em RH em uma entrevista para o site Max Press.
Braga orienta sobre algumas questões que podem apoiar os empresários no momento de monitorar a concorrência, a exemplo de contratações. “Investigue se a empresa está procurando talentos e em que áreas. Isso lhe dará dicas sobre a estratégia futura da companhia, como lançamentos de produtos ou serviços, crescimento e reestruturações”, diz o consultor.
O mesmo vale para demissões. “Entender os motivos de demissões ou rescisões de posições importantes na concorrência dará sinais relevantes e pode abrir portas para identificar oportunidades de negócios.”

Conhecer a estrutura organizacional do concorrente é importante para fazer um benchmarking com sua própria estrutura, assim como o modelo de remuneração e a política de bônus. O próprio currículo dos principais líderes diz muito sobre as companhias. Conhecer o perfil dos gestores responsáveis no concorrente ajuda a entender a estratégia da empresa.

Fonte: Max Press