Emprego x Carreira: Entenda a diferença

Você sabe diferenciar EMPREGO de CARREIRA?

Sabe se o que você tem é um ou outro? Ou melhor, sabe o que você, de fato, quer?

Para ajudar na resposta destes questionamentos, separamos um vídeo publicado no site Exame.com. Lá a especialista em RH, Eline Kullock, fala as diferenças entre emprego e carreira e aponta os sinais que você deve levar em consideração para identificar qual o caminho está seguindo. Segundo Eline, a diferença aparece quando você não tem novos aprendizados. Se isso ocorrer, vocÊ tem um emprego e não uma carreira, que oferece aprendizados contínuos.

Para saber mais, veja o vídeo completo (clicando na imagem).

Fonte: Exame.com

 

EDUCAÇÃO – MBA em Business Intelligence

A FIAP está oferecendo, durante o ano de 2015, o MBA em Business Intelligence.

Um curso que permite:

– Identificar métricas e indicadores, modelar bancos de dados, integrar dados corporativos estruturados e criar análises para tomada de decisão.

– Compreender como as novas tecnologias da informação irão impactar o ambiente de tomada de decisão da empresas com uma visão completa do cenário de BI.

– Desenvolver soluções com o uso das melhores práticas de BI, apoiadas nas modernas metodologias e tecnologias oferecidas pelas empresas parceiras da FIAP.

– Trabalhar BI como diferencial competitivo, assumindo uma posição de relevância estratégica para o sucesso das organizações.

O MBA em Business Intelligence foi formatado para atender a todas estas demandas em três módulos principais: a visão do negócio, a arquitetura de BI e a construção de modelos de decisão (data mining).

Indicado para quem quer dar um UP na carreira e assumir o cargo de gerente e coordenador de projetos; Analista de sistemas; Analista de negócios, de BI e de DBM; Consultor. Também é recomendado para profissionais que precisem aprimorar conceitos e práticas da área de Business Intelligence para compreensão e desenvolvimento de soluções de gestão empresarial, seguindo todas as boas práticas e padrões estabelecidos e valorizados pelo mercado.

As inscrições para a turma de 2015 já estão abertas.

Informações: http://bit.ly/18y5xpK

 

CARREIRA – Como não prejudicar sua imagem profissional com as redes sociais

Hoje em dia estamos sempre focados nas redes sociais. Uma maneira fácil e simples de interagir com os amigos, postar fotos e receber diversas informações. Mas é sempre importante tomar cuidado em como usar as redes sociais e, principalmente, como ela pode manchar a sua carreira, se não for bem utilizada.

Separamos para vocês alguns perfis catalogados, segundo o diretori de portal de empregos trabalhando.com.br.

Confira e veja se você não se encaixa em algum desses. E caso positivo, ainda dá tempo de mudar a imagem que foi construída.

– O preguiçoso: É aquele que diz odiar acordar cedo e assume não gostar de trabalhar. As comunidades mais comuns das quais participa são: “Eu odeio acordar cedo” e “Se trabalho fosse bom não era pago”.

– O acomodado: “Se nada der certo viro hippie”. Quase 300 mil pessoas compartilham do mesmo desejo caso seus planos não vinguem no futuro. O acomodado não possui ambição de crescer profissionalmente e está feliz na posição que ocupa na empresa. A impressão que passa ao chefe ou recrutador é de que essa pessoa não tem visão de futuro que possa contribuir para o crescimento da companhia.

– O bitolado: Essa pessoa gosta somente de uma coisa em específico. Pode ser um gosto musical, ideais e até mesmo uma única visão para a área de atuação. Isso é revelado nas diversas comunidades que participa sobre o mesmo tema, nas fotos e também na descrição do perfil. Todos temos preferências, mas é preciso tomar cuidado para não parecer inflexível.

– O baladeiro: Ele faz questão de mostrar a todos que gosta – e muito – de festas. Até aí não há problemas, é uma opção pessoal que não influencia no trabalho. A questão se agrava quando a situação é exagerada e as comunidades mostram irresponsabilidade. Como por exemplo: “Da balada ao trabalho” e “Eu trabalho de ressaca”. Com isso, essa pessoa mostra ser irresponsável e que não se importa com bom desempenho no dia seguinte.

– O reclamão: É aquela pessoa que reclama de tudo: da vida, do trabalho, dos compromissos, dos chefes e até dos amigos. Normalmente adere a diversas comunidades que começam com “Eu odeio”, é pessimista e nunca está satisfeita. Imagine se o seu chefe olha seu Orkut e, de repente, encontra a comunidade “Eu odeio meu chefe”. O mais curioso é que as pessoas já sabem que correm esse risco e aderem à “Socorro, meu chefe está no Orkut!”. Assim, é melhor rever seu perfil para que seu trabalho não seja comprometido.

CARREIRA – Você sabe usar bem o Linkedin?

Você sabe fazer marketing pessoal e atrair recrutadores pela rede social profissional? Sabe como usar de maneira eficiente a sua rede de contatos?

Podemos considerar que a rede social de profissionais pode sim ser importante. Nela, o formato de conexão propõe um vantajoso diferencial, os campos a serem preenchidos são específicos e atendem claramente às necessidades de informação e também porque proporciona maior credibilidade a cada indivíduo e a sua área de atuação.

Veja algumas dicas para que o seu perfil seja excelente nessa rede social:

ü  Manter o seu perfil e da sua empresa sempre atualizado é essencial para gerar credibilidade;

ü   Trate o seu perfil como um cartão de visitas. Ele deve ser sucinto, de fácil visualização e compreensão;

ü  Recomendar e ser recomendado é uma das coisas que trazem mais visitações para o seu perfil, pois quando alguém te recomenda, todos os seus contatos e mais os contatos do recomendador verão seu perfil no alto da página, permitindo maior visibilidade;

ü   Participe de comunidades. Esses ambientes que juntam pessoas do mesmo ofício são ótimos meios para se conectar com profissionais importantes e também aqueles que almejam ingressar no mesmo segmento profissional.

Já faz tudo isso com o seu perfil? Então PARABÉNS! Você está usando corretamente essa poderosa ferramenta que pode te ajudar a ter ainda mais visibilidade profissional, além de proporcionar a busca para novos desafios no mercado de trabalho.

 

Fonte: Exame S.A