agosto 08 2018 0comment

Como você toma suas decisões?

Por Dulcineia Sañtos

When you come to a fork in the road, take it! – Yogi Berra

Qual é o seu critério para tomar decisões? Você se tranca em algum lugar e não sai de lá até chegar à uma conclusão? Consulta um amigo ou um expert? Adia e só toma a decisão na última hora, sobre pressão?

Pessoas usam diferentes métodos para decidir sobre algo, e o seu tipo de personalidade, de acordo com a teoria de tipos de Carl Jung, tem um peso nisto.

Se você tem que decidir sobre onde vai passar o final de semana não é grande coisa, mas se é sobre mudar de cidade ou deixar um emprego, por exemplo, a maneira como você vai decidir pode fazer toda a diferença.

Uma das maneiras de olhar para as suas opções é: “quando eu digo sim para a opção 1, para o que eu estou dizendo não?” Eu exploro mais este assunto neste artigo.

Uma forma simples é fazer cinco círculos em um papel. Você então escreve um critério relacionado àquele assunto em cada círculo. Depois analisa cada opção e veja se elas atendem aos critérios listados.

Por exemplo, você quer comprar uma casa. Os principais critérios pra você são: 1) que essa casa fique próxima da sua mãe, já que ela te ajuda com as crianças quando você trabalha; 2) que ela tenha 3 quartos, já que você tem crianças e precisa de um escritório; 3) que custe até 300.000,00; 4) que seja num lugar seguro; 5) que esteja em bom estado, porque você não quer gastar com reformas.

Escreva num papel e depois compare as opções com a sua lista.

Para quem gosta de planilha, veja a 2a. parte deste artigo e aprenda uma ferramenta.

E lembre-se: nós temos o cérebro intelectual e o emocional. Escolha qual dos dois você quer usar na sua tomada de decisão e esteja atento a isto.

 

Como você toma suas decisões?

Parte II

Matriz de Decisão

Um método que usamos em Coaching é a Matriz de Decisão. Funciona assim: você cria uma tabela e dá um peso para cada critério. Por exemplo, vamos supor que eu queira mudar de profissão. As coisas que eu mais valorizo no momento são a liberdade de horários que eu tenho, a minha autonomia, poder trabalhar em silêncio, já que eu trabalho sozinha. Eu trabalho em casa e isto é uma vantagem, mas eu não sofreria tanto se tivesse que me locomover para trabalhar.  Neste caso, a minha tabela ficaria assim:

 

Critério Peso Opção 1 Opção 2
Liberdade 10    
Trabalhar só 9    
Autonomia 8    
Férias 7    
Seguro saúde 6    
Estabilidade 5    
Trabalhar em casa 4    
Total      

 

Depois você pode preencher as colunas Opção 1 e 2 de duas formas –  simplesmente ticando e ver na soma quem tem mais peso:

 

Critério Peso Opção 1 (trabalhar como autônomo) Opção 2 (trabalhar para uma empresa)
Liberdade 10 x x
Trabalhar só 9 x  
Autonomia 8 x  
Férias 7   x
Seguro saúde 6   x
Estabilidade 5   x
Trabalhar em casa 4 x  
Total   31 28

 

Ou você pode fazer algo mais elaborado, definindo um valor para cada opção:

 

Critério Peso Opção 1 Opção 2
Liberdade 10 10 (total escolha de ação) 7 (escolha  de ação limitada)
Trabalhar só 9 9 4 (terei uma sala)
Autonomia 8 8 5 (responder a superior)
Férias 7 5 (liberdade de escolha) 7 (30 dias pagos)
Seguro saúde 6 0 (eu pago) 6 (empresa paga)
Estabilidade 5 0 3 (posso ser despedida)
Trabalhar em casa 4 4 3 (não é longe)
Total   36 35

 

Priorizando o maior peso

Veja que nas duas planilhas a opção 1 ganha. Mas se houvesse mais critérios de menor peso, haveria a possibilidade de a opção 2 alcançar uma melhor posição. Neste caso você pode usar a “ponderação”, que é a multiplicação do peso pela nota que você deu ao critério. Dessa maneira os critérios de maior peso influenciarão mais o resultado final:

 

Critério Peso Opção 1 Opção 2 Total 1 Total 2
Liberdade 10 10 (total escolha de ação) 7 (escolha  de ação limitada) 100 70
Trabalhar só 9 9 4 (terei uma sala) 81 36
Autonomia 8 8 5 (responder a superior) 64 40
Férias 7 5 (liberdade de escolha) 7 (30 dias pagos) 35 49
Seguro saúde 6 0 (eu pago) 6 (empresa paga) 0 36
Estabilidade 5 0 3 (posso ser despedida) 15 0
Trabalhar em casa 4 4 3 (não é longe) 16 12
Total   36 35 311 243

Seja lá qual for a maneira que você vai escolher sua decisão, lembre-se: respeite-se e a seus valores. Escute a sua intuição. E sempre conte um coach para ajudá-lo a ver as coisas por um novo ângulo!


Dulcineia Sañtos é Life Coach, certificada pelo NeuroLeadership Group em Londres.

www.dulcineiasantos.com

julho 13 2018 0comment

Curso CRM da Infomev: Capacitação para analistas de negócios

Relacionamento. Essa é a palavra-chave que se tornou um divisor de águas para as empresas em um cenário tão competitivo. Independentemente do segmento, é fundamental ter uma estratégia precisa para se destacar e alcançar resultados.

É por isso que uma das estratégias que mais vem sendo usada por gestores e equipes de vendas é a de CRM. Customer Relationship Management (Gerenciamento do Relacionamento com o Cliente, em português) é a estratégia que coloca o cliente como principal componente da venda.

Mas como exatamente o CRM pode ajudar o seu negócio? Não basta apenas contar com um sistema em sua empresa, é preciso adotar a estratégia e entender sua importância para seus resultados, e mais do que isso, ter profissionais capacitados para lidar com esta poderosa ferramenta.

Por este motivo, a Infomev desenvolveu um treinamento de CRM que possui 24 horas de duração.

O curso, que é voltado para analistas de negócios, capacita o usuário a construir um conceito de gestão do cliente, a introduzir conceitos estatísticos, planejar e implantar técnicas de amostragem e tipos de testes a serem utilizados e a calcular indicadores e impactos financeiros.

 

Para fazer o curso, não é obrigatório possuir experiência em algum software estatísticos.

Entre os conteúdos abordados, estão : Conceitos de CRM, Entendimento dos Cases, Conceitos estatísticos, Amostragem, planejamento, mensuração de resultados estatísticos, mensuração de resultados financeiros, apresentação de resultados, desenvolvimento dos cases,

No final do treinamento, o aluno deverá entender os conceitos da gestão do cliente e de CRM, diferenciar marketing transacional e marketing de relacionamento e identificar objetivos e problemas comuns em CRM. Vai estar apto a interpretar os tipos de dados existentes na empresa e qual melhor forma de utilização e diferenciar os tipos de amostragem e quais os melhores a serem aplicados bem como calcular as estatísticas dos resultados obtidos e avaliar financeiramente cada campanha efetuada.

 

Para quem quiser saber mais, vale a pena entrar em contato com a Infomev: contato@infomev.com.br

dezembro 20 2017 0comment

Feliz Ano Novo!

2017 está quase no fim e, com ele, renasce a esperança e motivação para tirar os projetos do papel e transformá-los em realidade.

Desejamos a todos um 2018 repleto de sucesso!!!

 

dezembro 13 2017 0comment

CARREIRA: Profissões de tecnologia que serão essenciais

Ao longo dos anos, novas profissões aparecem enquanto outras passam a declinar gradativamente. Isto acontece por diversos motivos: evolução da tecnologia, mudança de comportamento da sociedade, crises econômicas, entre outros. Alguns estudos apontam que, até 2025, um em cada três postos de trabalho será substituído por tecnologia inteligente.

Para ajudar nesta reflexão, listamos algumas profissões que estão surgindo em função de evoluções tecnológicas e que tem um grande potencial para o futuro:

 Analistas de machine learning:  Analistas de machine learning precisam ter experiência com desenvolvimento, banco de dados e capacidade de encontrar padrões em grandes massas de dados.

. Especialista em automação residencial: Se, no passado, a automação dos processos era algo exclusivo de empresas, o futuro promete as mesmas necessidades nas casas. Muitas pessoas, embora usem computadores e internet diariamente, não são digitalmente “capacitadas”, precisando do auxílio de profissionais específicos para este fim.

. Especialista em clouding: Embora muito discutido, o clouding ainda é algo inovador no mercado de TI e, por isso, carece de profissionais especializados na solução e que possam orientar as empresas de forma adequada sobre as vantagens, desvantagens e requisitos para sua implantação.

. Desenvolvedores full-stack: Antigamente, os desenvolvedores eram categorizados em back-end e front-end, ou seja: o desenvolvedor back-end trabalha na parte “interna” dos sistemas, programando os códigos-fonte e precisa ter conhecimentos de novas ferramentas de desenvolvimento e principalmente banco de dados. O futuro promete valorizar profissionais que trabalhem nas duas frentes, chamados de full-stack, numa atuação mais generalista e menos especialista.

Cientista de dados:A internet trouxe a era dos dados e as empresas e governos precisam lidar com o processamento de um volume gigantesco de informações. Neste novo contexto, surgiu a figura do Cientista de Dados, que tem o objetivo de permitir que todo este processo aconteça.  Provavelmente, estes profissionais deverão ser bem remunerados, pois, muitas vezes, estarão lidando com dados sigilosos de clientes e empresas.

 

Fonte: Canaltech