agosto 29 2017 0comment

Proc Means SAS: Teste seus conhecimentos!

A Infomev possui um canal no youtube onde compartilha diversos vídeos, entre eles, vídeos dicas sobre a ferramenta SAS.

Geralmente separamos um tema sobre a ferramenta SAS e trazemos dicas, desafios e exercícios. Tudo o que você precisa para testar seus conhecimentos.

Hoje vamos falar sobre Proc Means SAS.

Confira!

 

agosto 28 2017 0comment

É possível saber demais?

Por Dulcineia Alcock

Como você sabe que sabe alguma coisa? É possível ter 100% de certeza sobre um conhecimento?

A Epistemologia é um ramo da filosofia dedicado a essa resposta. É o estudo do conhecimento e das crenças.

Mas, como você sabe se é hora de atualizar o que você acha que sabe e faz bem o suficiente?

Antes de entrar neste assunto, é importante revisar o que Noel Burch criou como os Quatro Estágios da Competência (ou Quatro Estágios da Aprendizagem) nos 1970s. Se você já conhece essa teoria, pode ir para o próximo título abaixo.

 

A teoria

Esta teoria esclarece a forma como aprendemos. Saber isso é útil porque quando você sabe com que emoções tem que lidar durante os estágios da aprendizagem, pode lidar melhor com elas, evitando desânimo e hesitação.

Já que há tanto material na Internet sobre o assunto, vou descrever brevemente os quatro estágios.

  1. Incompetência Inconsciente

Eu não sei que não sei

Exemplo: Eu pensar que as pessoas publicam coisas na Internet apenas pra compartilhar, até aprender sobre os princípios de marketing :).

  1. Incompetência Consciente

Eu sei que não sei

Você vai para a sua primeira aula de direção e começa a ver o quanto tem que aprender.

Esta fase pode trazer uma falta de confiança, autojulgamento e frustração. Este é o ponto em que muitas pessoas tendem a desistir.

Coaches e professores têm um papel importante neste momento, já que podem motivar, ajudando a pessoa a mudar sua visão para a meta em vez do problema. Além disso, prática e repetição são necessárias.

  1. Competência Consciente

Eu sei que eu sei

Agora você aprendeu a dirigir, mas ainda está atento a cada passo que você tem que dar para manter o carro em movimento.

  1. Competência Inconsciente

Eu não sei que eu sei

Este é a fase em que você está confortável dirigindo. Você pode dirigir e falar, e nem sequer pensa no que está fazendo.

Todos estes níveis de aprendizagem envolvem confiança e habilidade: quando um falta, o outro é necessário.

Possível 5ª Etapa

  1. Competência Consciente da Competência Inconsciente

Este estágio não foi originalmente pensado por Burch, mas tem sido discutido por especialistas, e eles têm variações na forma como eles entendem.

Pode envolver ensinar a outros o que você já dominou (como assobiar, por exemplo), e estar ciente das limitações da outra pessoa, bem como da didática necessária para explicar algo que você faz automaticamente.

Lembro-me de uma vez em uma aula de Filosofia em inglês, em que eu estava questionando uma frase. Meu professor e colegas vieram com todos os argumentos filosóficos possíveis, até que alguém percebeu: “Você sabe que em inglês a palavra “for” (por, para) também pode ser usada como” porque “, certo?

Ou seja, ninguém na classe poderia imaginar que esta era a minha dúvida, porque o uso dessa linguagem para eles estava no domínio da competência inconsciente.

Esta fase também pode ser aplicada a um nível de conhecimento onde você não pode sequer imaginar que é capaz de fazer algo melhor do que você faz. Businessballs publicou um artigo muito bom sobre isso, fornecendo as opiniões de muitos especialistas sobre o que eles entendem que é o 5 º nível.

A ignorância incapacitante de Peter Druck

Na etapa nr. 30 dos 67 Steps, Tai Lopez fala sobre os pensamentos de Peter Druck sobre “identificar as áreas onde a arrogância intelectual causa ignorância incapacitante”.

Voltando ao tema deste artigo: quando você sabe que é tempo para abandonar suas crenças, seus conceitos, coisas que você domina, e abrir-se a novos conhecimentos e experiências?

Claro que não há uma resposta certa para esta pergunta que se encaixa a todos, mas eu diria que a conscientização é a principal ferramenta aqui. E todos nós temos o instinto para saber quando algo não está certo.

Eu acho que isso exige uma certa dose de humildade também – o momento em que você diz: “Ok, meu jeito não é mais o melhor”, ou dizer: “preciso de um mentor”.

Lopez falou em outra lição sobre a importância de mudar antes que seja tarde demais.

Uma das 25 Tendências Cognitivas introduzidas por Charles Munger é a consistência, que se refere à nossa relutância em mudar. Este comportamento serviu aos nossos antepassados para, entre outras coisas, evitar a inconsistência e poupar energia, mas não nos serve mais hoje.

Agora que o ano está chegando ao fim, este poderia ser um bom exercício. O que você precisa rever? O que você percebe que não conhece bem ou não domina? Que crenças não estão servindo seus melhores interesses mais?

Na verdade, quando foi a última vez que você verificou suas crenças?

Se quiser verificar como um Coach pode ser útil em relação a isto, entre em contato neste link.

Aqui você pode se inscrever para receber o meu boletim informativo com artigos semanais.

Clique aqui para continuar a ler outros artigos sobre os 67 Steps – Uma Viagem para Reprogramar o Seu Cérebro.

 


Dulcineia Alcock é Life Coach, certificada pelo NeuroLeadership Group em Londres.

info@highpeakcoaching.com

agosto 15 2017 0comment

Big Data no dia a dia

Recentemente, passeando pela internet, encontramos um canal no youtube que traz vários vídeos sobre aplicações de conceitos profissionais no dia a dia, desmistificando todo o tabu que são gerados por traz de diversos temas, como é o caso do BIG DATA.

Confira o vídeo onde eles falam da aplicação do BIG DATA no dia a dia e como ele pode prever o futuro.

Para quem quiser conhecer o canal, clique aqui!

 

canal: Nerdologia

agosto 08 2017 0comment

O que compõe o perfil de um ótimo administrador SAS

Por Alessandro Lemes

Em mais de 15 anos de experiência e já com 10 em administração SAS, eu afirmaria que o melhor administrador SAS seria um indivíduo com uma compreensão profundamente experiente da administração de servidor e/ou desktop, bem como o uso dos softwares SAS, que compõem as suites de solução e que pertence ao mundo exclusivo dos utilizadores de TI e de negócios.

Para que as soluções SAS sejam implementadas e funcionem de forma otimizada, três componentes principais precisam ser configurados e gerenciados efetivamente:

  1. Software para instalação de hardware.
  2. Gerenciamento de metadados.
  3. Configuração e acesso do usuário.

A administração de todos os três componentes geralmente requer habilidades e treinamento com administração de servidor e desktop, além da configuração do software SAS, incluindo Metadados. O arranjo e a administração da infra-estrutura de TI da organização terão um impacto direto nos recursos humanos que são usados para lidar com cada um dos componentes.

Esta pessoa deve entender das interações de hardware e software para otimizar as configurações do sistema que irão tirar o melhor desempenho da solução e assegurar a integração adequada das ferramentas SAS Enterprise Business Intelligence.

Eu recomendaria que a função de administrador do SAS fosse ocupada por um veterano experiente com pelo menos 10 anos de experiência em programação SAS, juntamente com habilidades comprovadas em configuração de hardware para servidor e PC. Organizacionalmente, eu recomendaria que a função de administrador do SAS se reportasse para uma área operacional de negócios – servindo como uma ligação (pessoa do ponto) entre o grupo de suporte de TI e o setor empresarial.

É comum termos os administradores SAS lotados nas áreas de infraestrutura, não é o fim do mundo, mas esse administrador deve ter em mente que o seu cliente é negócios e o alinhamento de suas metas enquanto provedor de serviço deve passar por essas áreas.

Recomendo leitura detalhada do material contido na página do suporte SAS para você que é ou deseja ser um administrador.

 


Alessandro Lemes da Silva é colunista do Blog da Infomev e discute sobre o universo do Business Intelligence (BI).