agosto 09 2016 0comment

Integração de Dados – Como ele pode facilitar a sua vida?

A integração de dados é um processo que consiste em combinar diferentes tipos de dados, retirados de diferentes fontes e reunir todos eles em um único aplicativo, fazendo com que esses dados possam ser usados para gerar relatórios ou carregamento.

Estes projetos de integração garantem a confiabilidade dos dados e a unificação das informações, permitindo melhor eficiência operacional, redução de custos e, principalmente, minimizar os riscos, aumentando a vantagem competitiva da sua empresa.

A Infomev, através das soluções de integração de dados do SAS, define o processo e constrói rotinas para realizar:

– Extração;

– Transformação;

– Carga (ETL).

Veja como funciona:

1

1) Os dados são enviados para um armazém analítico (Data Warehouse). Essa ação permite que toda a empresa tenha uma visão única do cliente.

 

22) A partir deste armazém central de dados, novos armazéns são construídos, de acordo com as necessidades específicas de cada área com diferentes níveis de granularidade.

 

 

33) O resultado é ter em um único lugar informações importantes e estratégicas do seu cliente, como por exemplo, o histórico de ações. Dessa forma, você tem uma visão única do perfil dos seus clientes, facilitando então, a tomada de decisões.

Quer conhecer as outras áreas de atuação do serviço de Consultoria da Infomev?

Assista ao vídeo:

 

Quer saber como a Infomev pode ajudá-lo a interpretar melhor os seus dados?

Entre em contato com a gente que termos enorme prazer em atendê-lo.

contato@infomev.com.br

agosto 04 2016 0comment

Consultoria SAS: A solução da Infomev que entrega CONHECIMENTO

A Infomev é uma empresa que, desde a sua fundação, dedica-se a capacitar e entregar aos seus clientes CONHECIMENTO.

Este conhecimento é entregue através de informações estratégicas que permite compreender profundamente o negócio e o mercado de atuação.

Por este motivo, implantar soluções de inteligência analítica utilizando a plataforma SAS (ferramenta líder de mercado em soluções de inteligência analítica e Business Intelligence), é a especialidade da Infomev. e o grande diferencial encontra-se no preparo da equipe pós implantação.

O serviço de consultoria inclui a entrega dos processos, disponibilização dos modelos e a capacitação dos clientes, para que mesmo após a implantação do projeto, eles possam dar continuidade ao que foi construído e explorar ainda mais a solução de forma independente.

Como benefícios da solução estão: compreender profundamente o seu negócio, ter acesso às informações estratégicas e relevantes da sua empresa (ou da sua área) de maneira ágil, melhorar o desempenho no mercado de atuação, reduzir os custos e aumentar a rentabilidade.

Quer saber como a Infomev pode ajudar o seu negócio a crescer ainda mais?

Basta entrar em contato e solicitar um orçamento: contato@infomev.com.br

agosto 02 2016 0comment

Crônica: Busque o equilíbrio na vida

Estamos iniciando um novo mês, e para celebrar o começo desses próximos 31 dias que teremos pela frente, gostaríamos de compartilhar uma crônica que encontramos no livro “O que podemos aprender com os gansos” da editora original.

A crônica nos traz reflexões importantes que se a aplicarmos no nosso cotidiano, certamente teremos resultados diferentes em nossas ações. Confira!

“Em uma conferência numa universidade americana, um executivo falou sobre a relação entre o trabalho e outros compromissos da vida:

– Imagine a vida como um jogo de malabares, em que você lança ao ar cinco bolas. Essas bolas são o trabalho, a família, a saúde, os amigos e o espírito. O trabalho é uma bola de borracha. Se cair, bate no chão e pula para cima. Mas as quatro outras são de vidro. Se caírem no chão, quebrarão e ficarão permanentemente danificadas.

Entenda isso e busque o equilíbrio na vida. Como?

  • Não diminua seu próprio valor, comparando-se com outras pessoas. Somos todos diferentes. Cada um de nós é um ser especial. Não fixe seus objetivos com base no que os outros acham importante. Só você está em condições de escolher o que é melhor para você.
  • Dê valor e respeite as coisas mais queridas do seu coração. Apegue-se a elas como a própria vida. Sem elas, a vida carece de sentido. Não deixe que a vida escorra entre os dedos, vivendo no passado ou no futuro. Se viver um dia de cada vez, viverá todos os dias de sua vida;
  • Não desista, quando você ainda é capaz de um esforço a mais. Nada termina, até o momento em que se deixa de tentar. Não tema admitir que não é uma pessoa perfeita;
  • Não tema enfrentar riscos. É correndo riscos que aprendemos a ser valentes;
  • Não exclua o amor de sua vida, dizendo que não é possível encontrá-lo. A melhor forma de receber amor é dando amor. A forma mais rápida de ficar sem amor é apegando-se demasiadamente a si próprio. A melhor forma de manter o amor é dando-lhe asas;
  • Não tenha medo de aprender. O conhecimento é leve. É um tesouro que se carrega facilmente;
  • Não use imprudentemente o tempo ou as palavras. Eles são coisas que jamais poderemos recuperar;
  • A vida não é uma corrida, mas uma viagem que deve ser desfrutada passo a passo;
  • Lembre-se: ontem é história, amanhã é mistério e hoje é uma d´diva. Por isso é que se chama “presente”.

Reflita sobre esses conselhos. Leia e releia cada um deles e, aos poucos, adote-os como filosofia de vida. Viva com equilíbrio.”

Crônica retirada do livro “O que podemos aprender com os Gansos” – Ed 12 – Editora Original

julho 25 2016 0comment

Usando as diferenças a nosso favor

Por Dulcineia Alcock

Em uma reunião social, como você se comporta? Você se apresenta, ou é apresentado? Você conversa com todos, ou prefere ficar em algum lugar discreto e ter uma conversa mais privada?

E no trabalho? Você é do tipo que gosta de explorar ideias novas, ou prefere andar por terrenos conhecidos, tipo ¨não se mexe em time que está ganhando¨?

O psicólogo Carl Jung desenvolveu a teoria dos tipos psicológicos. Resumidamente, ele sugere que nós temos maneiras opostas de nos relacionar com o mundo – direcionar e receber energia (Extroversão ou Introversão – E/I), assimilar informação (Sensação ou Intuição – S/N), decidir ou concluir algo sobre uma informação (Pensar ou Sentir – T/F) abordar o mundo exterior (Julgar ou Perceber – J/P).

extrovertido
extrovertido

Nós usamos todos esses 8 pares parte do tempo, mas preferimos um lado do par e fazemos uso dele com mais frequência. Conhecermos quem somos e quem são os nossos parceiros de vida ou trabalho e quais as diferenças entre nós, pode ser utilizado a nosso favor.

Talvez a primeira coisa a deixar clara quando falamos de tipos psicológicos, é que apesar dessas palavras serem conhecidas por nós, o significado aplicado por Jung é diferente. Uma pessoa Introvertida, por exemplo, não é necessariamente tímida. Uma pessoa preferir o polo de Julgamento, não faz dela um julgador ferrenho, que critica tudo e todos.

Introvertido
Introvertido

A segunda coisa é que a interação entre os diferentes polos fazem de um indivíduo um tipo singular. Portanto, o fato de uma pessoa ser Extrovertida não quer dizer necessariamente que ela vai chegar numa festa e se apresentar. Ela fará isso apenas se dentro da sua tipologia houver uma faceta que chamamos ¨iniciar¨.
Você verá que neste texto serão usados termos como ¨prefere¨, ¨normalmente¨. Isto se dá porque em tipos psicológicos não colocamos uma pessoa numa gaveta. As pessoas são dinâmicas e podem ser influenciadas pelo meio, desenvolvendo habilidades e preferências diferentes das inerentes àquele polo.
O que então, significam os nomes que Jung utilizou?
Nos tipos psicológicos, uma pessoa que tem a preferência por Extroversão, normalmente é energizada pela interação com outras pessoas. Pode ser que ela tenha facilidade em expor o seu pensamento, dependendo de outros aspectos de sua personalidade. Já um Introvertido é energizado pela reflexão, prefere estar sozinho, e pode achar que interrupções no trabalho o distraem. Num time, por exemplo, é importante que as pessoas envolvidas estejam atentas aos tipos e que se certifiquem que os Introvertidos também sejam ouvidos.
A pessoa que assimila informação através da Sensação acredita no que é palpável, e nas experiências que teve. Já uma o faz pela Intuição, tende a enxergar possibilidades, e é muito aberta à novidades. Os dois polos enriquecem e muito um time, quando propriamente explorados.
Os que usam o Pensar como preferência, tomam decisões pesando prós e contras, tentando ver a lógica em cada processo. Os que preferem Sentir, normalmente veem primeiro como uma decisão pode afetar as outras pessoas do grupo. Consultar as pessoas que usam diferente polos para tomar decisões pode trazer equilíbrio e eficiência ao processo.
Os indivíduos que preferem abordar o mundo exterior através do Julgamento, procuram por conclusões, decisões. Eles tendem a gostar de planejamento, agendas, enquanto os que preferem Percepção gostam de coletar o máximo de informações possível e focam no processo.
Todos os polos tem os seus pontos fracos e fortes. As pessoas que preferem Julgamento podem ser mais organizadas e confiáveis no que diz respeito a prazos. Porém podem se precipitar ao tomar uma decisão sem coletar suficiente informação.
Já as que preferem Percepção podem ter uma melhor ideia do quadro geral de uma situação (big picture), mas há o risco de não conseguirem tomar uma decisão por se perderem coletando informações.
MBTI® – Myers-Briggs Type Indicator é uma ferramenta de autoconhecimento dedicada à identificação dos tipos psicológicos, baseada na teoria de Carl Jung. Desenvolvida por Katherine Briggs e Isabelle Briggs Myers, mãe e filha, este Instrumento é mundialmente utilizado por empresas e indivíduos para ajudar a entender como os tipos afetam a comunicação, as relações profissionais e pessoais, as escolhas, clarificando pontos fortes e preparando para desafios e situações de stress, bem como explorando o que os diferentes tipos trazem para um time, conflitos e o respeito às diferenças.
Os tipos MBTI são formados por 4 letras que representam as preferências, e as dinâmicas entre os polos é o que torna esse estudo muito rico. Um ESTJ (Extroversão, Sensação, Pensamento, Julgamento) é motivado pelo uso de conhecimento, habilidades ou experiência para resolver problemas, enquanto um ESTP (Extroversão, Sensação, Pensamento, Percepção) é motivado quando tem autonomia para realizar coisas à sua maneira.
Um ISTJ, como eu, tem como função dominante (o que uso com mais facilidade) a Sensação. E como função inferior (o que preciso desenvolver) a Intuição. Desenvolver esse polo (ver a situação como um todo, explorar outras possibilidades) é o meu desafio. Em situações de stress, a função inferior é ativada, e como ela não é a que estou acostumada a usar, aparece de uma maneira distorcida. No caso do ISTJ, por exemplo, significa imaginar situações catastróficas. Para uma pessoa que tem Sentir (F) como inferior, pode ser interpretar mal tudo que outra pessoa diz ou faz.
Se quiser saber qual é o seu tipo e como utilizá-lo a seu favor, entre em contato para agendarmos uma conversa.

Dulcineia Alcock é Life Coach, certificada pelo NeuroLeadership Group em Londres.

info@highpeakcoaching.com